HThe
Hm

Notícias na Florêncio de Abreu

Listando: 1 à 5 de 1194
TV POR ASSINATURA: 67 MIL CLIENTES DESLIGADOS EM JUNHO

Cabo foi tecnologia que mais encolheu, seguida pela DTH (mini-parabólica). Fibra cresceu.

O mercado de TV paga perdeu clientes em junho de 2020, conforme dados da Anatel divulgados na última semana. Havia no país 15,18 milhões de clientes. O número representa uma queda de 0,44% em relação a maio. Ou seja, foram 67,32 mil desligamentos, mesmo durante a pandemia, em que mais pessoas ficaram em casa.

A Claro, maior operadora de TV do país, com 48,6% de market share, terminou junho com 7,38 milhões de acessos, 69,86 mil a menos que em maio. A Sky, segunda maior, com participação de 30,2%, adicionou 23,93 mil clientes, e terminou com base de 4,58 milhões.

Oi e Vivo também cresceram. A Oi adicionou 3,45 mil usuários, passando a ter 1,48 milhões de clientes (share de 9,8%). E a Vivo adicionou 541 acessos, permanecendo praticamente estável em relação a maio, com 1,27 milhão de clientes (fatia de 8,4%).

Outras empresas de menor porte perderam clientes. A Algar, por exemplo, desconectou 10 mil. A empresa saiu do segmento de TV paga, mas ainda tem 39 mil clientes no segmento. Empresas com menos de 22 mil clientes, agrupadas, perderam 13 mil acessos, e terminara o mês com 212 mil usuários.

Em termos de tecnologia, o DTH, abandonado por Algar, Oi, Vivo e Claro, continuou a encolher. Perdeu 31 mil acessos. A TV por fibra óptica (IPTV FTTH) ganhou 17 mil usuários. O cabo, usando principalmente pela Claro, perdeu 54 mil usuários.

Ainda assim, o DTH segue como plataforma mais utilizada do país, uma vez que todas as operadoras têm parte dos clientes com a tecnologia: 7,52 milhões. Em seguida vem o cabo coaxial, com 6,62 milhões. A fibra tem 1,02 milhão de clientes.

(Fonte: Rafael Bucco) - 03/08/2020
REMESSAS MUNDIAIS DE PCS AUMENTARAM 2,8% NO 2º TRIMESTRE

Mercado retoma crescimento graças à forte demanda por PCs móveis e começa recuperação após interrupções na cadeia de suprimentos causadas pela COVID-19

As remessas globais de PCs totalizaram 64,8 milhões de unidades no segundo trimestre de 2020, o que significa um aumento de 2,8% em relação ao mesmo período de 2019, de acordo com pesquisa da consultoria Gartner. Após declínio significativo no primeiro trimestre do ano, devido às interrupções da cadeia de suprimentos causadas pela COVID-19, o mercado de computadores pessoais voltou a crescer, à medida que os fornecedores reabasteceram seus canais e a demanda por PCs móveis aumentou.

“O segundo trimestre de 2020 representou uma recuperação de curto prazo para o mercado mundial de PCs, liderada por um crescimento excepcionalmente forte na Europa”, avalia Mikako Kitagawa, Diretor de Pesquisa do Gartner. “Depois que a cadeia de suprimentos de PCs foi severamente interrompida no início de 2020 por conta da pandemia da COVID-19, parte do crescimento deste trimestre deveu-se ao reabastecimento de suprimentos de distribuidores e canais de varejo para níveis quase normais”, diz.

Além disso, o crescimento do setor de PC móvel foi particularmente forte, impulsionado por vários fatores, incluindo a continuidade dos negócios para trabalho remoto, educação online e necessidades de entretenimento dos consumidores.

Mas o aquecimento não deve perdurar, diz o especialista. “Esse aumento na demanda de PCs móveis não continuará além de 2020, uma vez que essas remessas foram impulsionadas principalmente pelas necessidades de negócios de curto prazo geradas pelo impacto da pandemia do coronavírus”, prevê.

No segundo trimestre de 2020, a Lenovo e a HP compartilharam a posição número 1 no mercado mundial de PCs, devido ao forte crescimento da HP no trimestre. Juntas, as companhias foram responsáveis ??por metade das remessas de PCs no período, contra 46,6% registrado no segundo trimestre de 2019.

Estimativas preliminares de remessas mundiais de unidades de fornecedores de PC para o segundo trimestre de 2020 (em milhares de unidades)

A Lenovo manteve a posição número 1 no mercado mundial de PCs, ao lado da HP, com crescimento de 4,2% no acumulado de ano a ano em suas remessas mundiais. Isso foi resultado de um crescimento de dois dígitos na região da Europa e de mais de 50% nas remessas de PCs móveis.

Após um declínio significativo no primeiro trimestre de 2020 devido às restrições da cadeia de suprimentos, a HP registrou crescimento na comparação ano a ano no segundo trimestre, ao se recuperar desses problemas de abastecimento. Também se destacou nos mercados da Europa e nos Estados Unidos, impulsionado pela demanda dos consumidores por PCs.

As remessas mundiais da Dell caíram no segundo trimestre de 2020, representando seu primeiro declínio em comparação ano a ano desde o primeiro trimestre de 2016. As remessas da empresa cresceram na região da Europa e no Japão, mas caíram em todas as outras regiões, com a queda mais acentuada na América Latina (20%). Em muitas regiões, os PCs móveis da Dell apresentaram crescimento de dois dígitos, o que foi compensado por um declínio significativo nas remessas de desktops.

Startup de logística cresce 150% em volume de encomendas

A empresa Mandaê processou, no primeiro semestre de 2020, 1,5 milhões de encomendas, número próximo ao total de produtos enviados em 2019

A startup de logística Mandaê tem como objetivo otimizar o processo de entrega de empresas, utilizando um sistema de inteligência artificial, que detecta qual a melhor transportadora para o envio de pedidos até a casa dos clientes. Durante a pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2), a companhia teve crescimento de 150% no volume de encomendas em junho deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado.

O fundador da empresa, Marcelo Fujimoto, acredita que a alta no número de encomendas processadas pela Mandaê não foi apenas um reflexo do fechamento do comércio. “Esse crescimento passa também por uma mudança de comportamento”, afirma. “A população teve de adotar o online como sua opção principal de compra.” Durante o primeiro semestre de 2020, a startup otimizou a entrega de 1,5 milhões de produtos, ao passo que durante o ano inteiro de 2019, esse número foi de 2 milhões.



O CEO e fundador da Mandaê, Marcelo Fujimoto
Foto: Divulgação

Ao atender mais de 300 empresas com e-commerce, a Mandaê consegue monetizar a partir da coleta de uma parcela do frete pago pelos consumidores finais. A vantagem para os contratantes está na tecnologia utilizada pela startup, conta Fujimoto. “Nós auxiliamos o processo de seleção do transportador, levando em consideração o prazo e destino final”, afirma. “Além disso, também traçamos os melhores caminhos paras as encomendas.”

A ideia de empreender tecnologia no setor de logística e otimizar o processo de entrega de encomendas veio para Fujimoto após sua experiência como dono de um e-commerce de roupas infantis em 2012.

Na época, ele percebeu que, durante a etapa de envio do produto, a experiência do consumidor era prejudicada pela quantidade de problemas que os pacotes percorriam no trajeto.

Depois de dois anos trabalhando no e-commerce de roupas infantis, e percebendo uma oportunidade de mercado, Fujimoto decidiu criar a Mandaê. “A encomenda percorre caminhos longos e complexos para chegar na casa dos consumidores”, diz. “Com nosso sistema de inteligência artificial, e nossos algoritmos, otimizamos esse trajeto.” Outra vantagem da tecnologia da startup, afirma, é a diminuição de custos logísticos para as empresas que os contratam.

Uber encerra operação de patinetes no Brasil

Disponível em apenas duas cidades, a modalidade estava paralisada desde o começo da pandemia e será descontinuada

2020 não é o ano dos patinetes elétricos no Brasil. Após a saída da Lime do País e da crise da Grow, agora é a vez do Uber tirar o time de campo. A empresa anunciou que encerrou a oferta de patinetes elétricos em São Paulo e Santos, as duas cidades onde mantinha operações no País.

"No dia 7 de maio, o Uber anunciou a fusão da Jump, sua divisão de micromobilidade, com a empresa Lime, que está dando seguimento a uma operação combinada nas cidades que atende. Com essa fusão, as operações de patinetes elétricos da Uber em São Paulo e Santos, suspensas desde o início da pandemia, foram descontinuadas", diz comunicado da empresa.

A operação de patinetes era um projeto recente do Uber no Brasil - teve início em dezembro em Santos e chegou a São Paulo em março deste ano. A decisão da empresa, porém, faz sentido. O Uber foi um dos primeiros investidores da Lime, e pode liderar até novos aportes na empresa.

Por aqui, porém, a gigante dos patinetes sofreu: foram apenas seis meses de operação e problemas para manter a lucratividade frente aos altos custos do segmento. O Uber diz que continuará oferecendo patinetes da Lime em seu app nas cidades onde a startup atua, o que não é o caso brasileiro.

Após a nova baixa, o número de startups no mercado brasileiro parece reduzido à Scoo, que tem projetos pontuais em estações de metro de São Paulo. É um cenário bem diferente da euforia de 2019, que viu crescimento de cidades, fusões e guerra de preços.

(Fonte: Bruno Romani - Estadão) - 21/07/2020
Bill Gates: Vacina não deve ir para quem pode pagar mais

Executivo diz que a distribuição do medicamento contra covid-19 precisa ser justa para que a pandemia não se torne ainda mais letal

Bill Gates acredita que saldo bancário não deveria definir a prioridade para o acesso a vacinas e medicamentos relacionados ao coronavírus. No sábado, 11, o fundador da Microsoft deu uma palestra numa conferência virtual sobre a covid-19 promovida pela International AIDS Society e declarou ser importante analisar a localidade e os perfis dos pacientes.



Fundador da Microsoft, Bill Gates deu uma palestra numa conferência virtual sobre a covid-19
Foto: Bill Gates/Divulgação / Estadão Conteúdo

"Se deixarmos vacinas e medicamentos irem para quem pode pagar mais em vez de irem para as pessoas e lugares onde são mais necessários, teremos uma pandemia mais longa, injusta e letal", disse o ex-executivo. "Precisamos de líderes para tomarem decisões difíceis sobre distribuição baseada em igualdade, não apenas em fatores definidos pelo mercado", afirmou.

Em junho, o Departamento de Saúde e Serviços Humanos (HHS, na sigla em inglês) anunciou que os Estados Unidos compraram quase todo o estoque mundial de remdesivir, remédio apontado por pesquisas recentes como eficaz no tratamento do novo coronavírus.

Dessa forma, essa é mais uma declaração de Gates que contraria a administração Trump. Durante a pandemia, o ex-executivo entrou em conflito com o presidente dos EUA por posicionamentos em relação ao vírus, o que acabou o colocando como alvo da extrema direita do país. Ele tornou-se a estrela principal de uma explosão de teorias da conspiração sobre a pandemia. Em posts no YouTube, Facebook

e Twitter, Gates é falsamente retratado como o criador da covid-19, como um empresário que está lucrando com a vacina contra o vírus e como participante de um plano covarde para usar a doença para vigiar ou exterminar a população mundial.

(Fonte: Redação Link - Estadão) - 14/07/2020
Listando: 5 de 1194

Anuncie

Sobre o Portal da Florêncio de Abreu

O Portal da Florêncio de Abreu foi lançado em 01 de janeiro de 2002, tendo como objetivo principal a divulgação de empresas e produtos comercializados na região da rua Florêncio de Abreu no centro da cidade de São Paulo, focando-se principalmente em produtos voltados para a área de ferramentas e ferragens.