HThe
Hm

Notícias na Florêncio de Abreu

Listando: 1 à 5 de 1249
Mineradores de Ethereum estão ganhando US$ 77 Milhões por dia

Os mineradores de Ethereum têm obtido mais receita do que os de Bitcoin nos últimos dias.

Segundo a Data Dashboard do The Block, os mineradores de Ethereum estão ganhando cerca de US$ 77 milhões em receita diária, já os mineradores de Bitcoin estão faturando US$ 67 milhões. O Ethereum está dando US$ 10 milhões, em média, a mais que o Bitcoin.

Isso aconteceu algumas vezes nos últimos meses. As mineradoras de Ethereum obtiveram receitas maiores do que as de Bitcoin no início de fevereiro e no final de abril. O que se percebe é que isso está começando a acontecer com mais frequência, quando era uma ocorrência rara nos últimos anos.



Uma das razões pelas quais as mineradoras de Ethereum estão obtendo receitas mais altas é que o preço do éter aumentou significativamente nos últimos meses.

Ele continuou a subir nas últimas semanas, enquanto o preço do bitcoin estagnou. Depois de começar o ano com US $ 730, um éter vale cerca de US $ 4.300.

Rede Globo investe em empresa de criptomoedas
Nesta quarta – feira (12), Globo Ventures, um braço da emissora de televisão Rede Globo fez um aporte na gestora de criptomoedas brasileira Hashdex, o montante total captado pela Hashdex foi de R$ 135 milhões a rodada foi conduzida pela Valor Capital.

A maior corretora de bitcoin do Estados Unidos , CoinBase, também participou da rodada que foi restrita. Hashdex ficou famosa após lançar o primeiro ETF de Bitcoin na Bolsa de Valores (B3 ).

O objetivo da gestora é expandir suas operações em solo internacional e reforçar seu times que, atualmente conta com 25 colaboradores.

Bitcoin é mencionado em registro de patente da Sony, entenda

De acordo com o banco de dados Patentscope, que indexa os documentos da Organização Mundial da Propriedade Intelectual (WIPO), a Sony, a gigante da

tecnologia japonesa, considera a integração do Bitcoin (BTC) desde 2019.

De acordo com a descrição da Patentscope, a Sony Interactive Entertainment Inc. está entrando com um pedido de patente nos Estados Unidos para uma
“plataforma de apostas em esportes eletrônicos”.



Este instrumento permitirá que usuários de dispositivos e consoles de jogos apostem em eventos de “simulação”.

Por exemplo, os entusiastas dos e-sports poderão apostar no vencedor do jogo, no próximo jogador a virtualmente “morrer” e em outros recursos disponíveis.

As apostas poderão ser feitas em moeda fiduciária, Bitcoin, ativos de jogos e moeda virtual, afirma a descrição do projeto.

Dito isso, a Sony pode aceitar não apenas BTC, mas também outras criptomoedas. Assim, a patente também pode abranger o segmento de tokens não fungíveis

(NFTs).

A patente foi solicitada em novembro de 2019, o que indica que desde aquela época a Sony está considerando adotar o Bitcoin e as criptomoedas em suas
plataformas

Manter o Bitcoin no balanço não é a única maneira pelas quais as empresas estão explorando as oportunidades oferecidas pela criptomoeda.

A Microsoft também vem fazendo experiências com uma solução de identidade digital baseada em Bitcoin.

Cada vez mais, soluções descentralizadas vem ganhando espaço no setor de tecnologia, com grandes players adotando a tecnologia blockchain para os mais
diversos fins.

As ações da empresa são negociadas em queda de cerca de 1.20% desde o início do pregão.

De modo semelhante, o Bitcoin amanhece em mais um dia de queda que empurra o criptoativo para uma perca de mais de 26% na última semana.

Qual a sua opinião sobre a Sony no mercado de criptoativos? Deixe sua opinião na seção de comentários abaixo.

(Fonte: Por João Victor) - 23/05/2021
Nvidia RTX 3060 volta a receber limite para minerar ethereum

Nvidia liberou drivers para placas de vídeo GeForce RTX 3060 que limitam mineração de ether (sim, de novo)

Nesta semana, a Nvidia lançou novos drivers para as placas de vídeo GeForce RTX 3060. Essa não é uma atualização comum, porém. O principal atrativo da novidade é um mecanismo que limita o desempenho da GPU em mineração de ether (ou ethereum). Com isso, a linha volta a ser direcionada ao público-alvo original: jogadores.



A GeForce RTX 3060 foi lançada pela Nvidia em fevereiro com a proposta de ser uma opção mais acessível em relação às GPUs RTX 3090, 3080 e 3070, mas, ainda assim, poderosa para o público gamer. O problema é que o modelo caiu nas graças da turma que faz mineração de criptomoedas, principalmente ether.

Eis o efeito: em muitos países, a exemplo, dos Estados Unidos, encontrar a GeForce RTX 3060 nas prateleiras é um desafio. Quando o modelo é encontrado, frequentemente tem preço muito acima do valor sugerido pela Nvidia.

Diante das reclamações dos jogadores, a Nvidia disponibilizou, ainda em fevereiro, drivers que reduzem o desempenho da RTX 3060 em aproximadamente 50% nas atividades de mineração.

Mas a restrição durou pouco. Em março, um driver que retira a limitação para mineração foi liberado por engano pela Nvidia. Ao perceber o erro, a empresa imediatamente removeu o software de seus servidores, mas o estrago já estava feito: o drive não demorou a ser distribuído por meio de canais não oficiais.

Com os recém-anunciados drivers Game Ready 446.27, a Nvidia volta a restringir a mineração de ether em placas de vídeo GeForce RTX 3060. Os novos drivers serão obrigatórios para unidades da linha lançadas a partir de maio. Placas anteriores não dependem desses drivers para funcionar (elas podem continuar minerando criptomoeda normalmente, portanto).

Como de hábito, os novos drivers também incluem correções de falhas, atualizações de segurança e ajustes funcionais.

RTX 30 Lite Hash Rate
A Nvidia também deve lançar em breve placas de vídeo RTX 30 LHR (Low Hash Rate). Em termos de desempenho, elas seriam equivalentes às atuais placas RTX 3000, com a diferença primordial de contarem com mecanismos que limitam a quantidade de hashes processados por segundo.

O número de hashes é o parâmetro que determina o desempenho da GPU em mineração. Isso significa que as novas placas virão com recursos nativos para torná-las menos interessantes para esse tipo de atividade.

Fala-se que, comercialmente, as unidades RTX 30 LHR não serão identificadas como tal. Isso significa que as restrições para criptomoedas poderão ser padrão na linha.

É provável que a placa de vídeo GeForce RTX 3060 seja a primeira a ser baseada em LHR, mas a possibilidade de a restrição ser implementada nos demais modelos RTX 3000 não está descartada.

Provavelmente, criptomineradores não ficarão "desemparados" (não totalmente): também há rumores de que a Nvidia anunciará novas placas de vídeo CMP (para mineração) em breve.

Raspberry Pi 400 chega ao Brasil, mas preço sobe além do esperado

O teclado com computador embutido já está disponível oficialmente no mercado nacional, mas taxa de conversão supera R$ 14

O Raspberry Pi 400, teclado com computador embutido, já está disponível de forma oficial no Brasil, após ser homologado pela Anatel. O dispositivo foi anunciado no exterior por US$ 70 e, geralmente, tem como atrativo o preço relativamente baixo. No entanto, o RPi400 chegou à FilipeFlop, uma das revendedoras oficiais Raspberry Pi, por R$ 999,90 - preço bem acima do esperado.

Considerando o valor do produto nos Estados Unidos, a taxa de conversão para o Raspberry Pi 400 fica em aproximadamente R$ 14,28, superando inclusive o que chamamos de "dólar Apple", atualmente em R$ 13.

O mini computador ainda não está disponível na RoboCore, outra revendedora oficial. Mas o histórico baseado em outros modelos sugere que a diferença deve ser pequena, na casa dos R$ 10, no máximo.

Preço não inclui kit completo Raspberry Pi 400
O kit completo do Raspberry Pi 400 inclui mouse, microSD (com Raspberry Pi OS), cabo HDMI e fonte. Ele sai por US$ 100 no exterior, mas por aqui levando apenas a fonte e o mouse (acessórios recomendados na loja), além do teclado com o computador embutido, você já gasta R$ 1.189,70.



O Raspberry Pi 400 tem chip Broadcom BCM2711 acompanhado de 4 GB de memória RAM. Ele traz duas portas USB 3.0 e duas micro-HDMI posicionadas na traseira do teclado, o que permite o uso de dois monitores. Com o kit completo, ele pode ser utilizado para, por exemplo, incentivar crianças a aprenderem programação ou executar tarefas em ambientes corporativos.

Ficha técnica do Raspberry Pi 400
Processador Broadcom BCM2711, quad-core Cortex-A72 (ARM v8) 64-bit SoC
Clock 1,8 GHz
Memória RAM: 4GB DDR4
Adaptador Wifi 2.4 GHz and 5.0 GHz IEEE 802.11b/g/n/ac wireless LAN integrado
Bluetooth 5.0 BLE integrado
2 portas micro HDMI com suporte a vídeos 4K e 60 fps
2 portas USB 3.0 e 1 porta USB 2.0
Slot para cartão microSD
Teclado de 79 teclas
GPIO de 40 pinos
Dimensões: 286 × 122 × 23 mm

(Fonte: Ana Marques - Tecnoblog) - 12/05/2021
Amazon pode entrar no ramo de automação de supermercados

Ao que consta, a Amazon está prestes a disponibilizar para grandes supermercados sua tecnologia que dispensa o uso de caixas, que já vem sendo utilizada nas lojas de conveniência Amazon Go desde 2018.

Isso parece confirmar a estratégia da Amazon no sentido de desenvolver tecnologias para uso próprio e depois transformá-las em serviços lucrativos, oferecendo-as a terceiros.

Essa tecnologia usa uma combinação de câmeras e sensores para identificar automaticamente clientes e produtos conforme eles andam pela loja e escolhem o que comprarão – na saída, o valor da compra é automaticamente debitado do cartão de crédito do cliente que foi usado para destravar uma catraca na entrada da loja.

A demora para a disponibilização da tecnologia para terceiros deve-se às diferenças entre usá-la numa loja de 650 metros quadrados, como as maiores da Amazon Go, ou em um grande supermercado, que pode ter o triplo dessa área. Empresas rivais que trabalham com tecnologias similares dizem que precisarão de um ou talvez dois anos para as lançar, o que dá à Amazon uma grande vantagem competitiva.

Considerando-se as práticas das big techs em geral e da Amazon em particular, surge uma dúvida: como serão usados os dados dos clientes que serão coletados quando estes fizerem compras em um supermercado desse tipo? A Amazon, como é de se esperar, diz que só os usará para processar as vendas. A ver…

Outro problema é o aumento do desemprego: apenas uma grande rede varejista no Brasil tem cerca de 90 mil funcionários operadores de caixa; para essas pessoas, o cenário, em futuro próximo é muito ruim.

Não se trata de combater o desenvolvimento tecnológico, mas a sociedade precisa se estruturar para dar suporte aos que forem expelidos do mercado de trabalho.

(Fonte: Por Vivaldo José Breternitz) - 03/05/2021
Listando: 5 de 1249

Anuncie

Sobre o Portal da Florêncio de Abreu

O Portal da Florêncio de Abreu foi lançado em 01 de janeiro de 2002, tendo como objetivo principal a divulgação de empresas e produtos comercializados na região da rua Florêncio de Abreu no centro da cidade de São Paulo, focando-se principalmente em produtos voltados para a área de ferramentas e ferragens.